FATOS & CONCLUSÕES

Começo com nada menos que uma ótima tira cartunesca extraída na seção de humor do site Astronomia no Zênite, denominada Os Astrocômicos. Desconheço o autor, e agradeceria a quem pudesse me ajudar a descobrir.

Esses quadrinhos, embora um pouco imprecisos, tocam num ponto central, e espero mostrar que a afirmação fundamental, de que o Evolucionismo é resultado da investigação factual da natureza e o Criacionismo é resultado de um dogma prévio à qualquer investigação, é algo que pode ser considerado um "Fato Conclusivo".

É fácil criar um quadro comparativo

EVOLUCIONISMO
CRIACIONISMO
Parte da observação da natureza, coleta de dados, organização e teorização.
Parte da interpretação literal da Gênese Bíblica.
Tem como fatos base principalmente a Distribuição Geográfica das espécies, a Taxomonia, a Homologia Comparada (incluindo a dos embriões), o Registro Fóssil e a Análise de DNA.
Tem como base a premissa de que a literalidade é um pilar fundamental da fé.
Produzido em Pesquisas de Campo, Laboratórios, Universidades e similares.
Produzido em Igrejas e instituições religiosas.
Houve filósofos precursores ao longo da história, mas como Ciência surge no século XIX, na Europa, em especial França e Inglaterra.
Houve filósofos, teólogos e defensores em geral ao longo da história, e foi dogma religioso por quase 2 mil anos, mas como "Ciência" surge na década de 1950, nos EUA.
Tem como marco principal as obras de Darwin e Wallace, ambas resultados de viagens longínquas ao redor do mundo, examinando ecossistemas diversos, fazendo coletas de dados e espécimes, e sendo organizada e teorizada durante anos, em meados do século XIX.
Na versão mitológica tem como marco fundador a Torah, compilada em cerca de 600AEC. Na versão "científica" tem a inviabilidade de proibição do ensino de evolucionismo, restando a versão "cientificizada" como meio de expandir os efeitos da declaração dos 5 Fundamentos do Fundamentalismo Cristão, em 1910 que ao instituir a Inerrância Bíblica em todos os níveis, sacramentou a leitura Literal da Gênese.
Um evolucionista pode ser um religioso ou um laico, um ateu, agnóstico ou teísta, e pertencer a qualquer designação.
Um criacionista é necessariamente um religioso de tradição abrâamica, sendo a maioria esmagadora cristãos protestantes, o que inclui TODOS os Criacionistas "Científicos".
Objetiva explicar, entender, e usufruir melhor da natureza.
Objetiva fortalecer a religião, ajudando a obter o máximo possível de convertidos.
Não tem impacto algum na vida pessoal, exceto para o cientista que trabalha na área. Para a maioria das pessoas, crer ou descrer da evolução é irrelavante.
Tem impacto decisivo na vida de quem professa qualquer versão fundamentalista religiosa, descrê-lo é, em geral, por em risco a religiosidade, a vida social na Igreja e todo um círculo familiar.

Àqueles que queiram protestar, direito que lhes cabe, só peço que leiam os textos relacionados na Página Principal, onde cada assunto é tratado mais detidamente.

Minhas Conclusões Acerca do Criacionismo há muito já foram expostas, classificando-o como nada mais nem menos que uma Apologética Literalista da Gênese, que é seu ponto de partida, explicando a essência do quadrinho.

O quadrinho em questão, porém, é parcialmente falho. Primeiro porque estabelecer uma conclusão a princípio e procurar fatos para apoiá-la também pode ser um método cientificamente válido, ou melhor, pode-se estabelecer hipótese iniciais ou mesmo uma teoria completa, e verificar se há fatos para apoiá-la. Ocorre que na ausência ou fraqueza desses fatos, as "conclusões" iniciais devem ser revistas, ou mesmo que parcialmente suportadas devem ser abandonadas em favor de uma concorrente mais forte.

É aí que está o problema do criacionismo. Certamente os criacionistas trariam fatos que apoiassem suas conclusões se eles existissem. Como não existem, só lhes resta inventá-los, pois a "conclusão" não admite questionamento, e os fatos devem ser submetidos a ela. Mas aí surge um problema. A criação é um fenômeno sobrenatural, bem como qualquer dos milagres que os criacionistas devem crer para sustentar suas crenças. O Dilúvio, a confusão de línguas na Torre de Babel, a parada do Sol sobre Jericó, etc.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não pode haver evidência direta de qualquer fato sobrenatural, pois isso revelaria uma conexão direta causal natural que esvaziaria o conceito de sobrenatural, que só faz sentido como UM FENÔMENO NATURAL SEM CAUSA NATURAL. Portanto, qualquer evidência teria que ser indireta.

Algo similar ocorre com as evidências da evolução, mas desta vez isso se deve a ser um conceito teórico relacionado à passagem de longos períodos de tempo e a comparação de estruturas distintas cujo sentido deve ser encontrada num todo coerente. Isso se dá com qualquer fenômeno natural que não seja instantâneo, isto é, não seja um evento único, isolado. A queda de um meteoro, por exemplo, deve deixar uma evidência direta, a cratera, visto que o impacto em si e único e exclusivo. Mas a passagem de um meteoro pela atmosfera sem chegar ao solo não deixará uma evidência direta permanente. E só poderá ser conhecida indiretamente, se puder.

A Criação claramente é ou envolve diversos fenômenos instantâneos. Porém como são sobrenaturais, não podem deixar evidências diretas. Mas quais seriam as evidências indiretas? Simples, as mesmas que se esperou encontrar durante muito tempo e jamais foram encontradas, pelo simples fato de não existirem.

Como Karl Popper disse, o problema do criacionismo é que ele já foi falseado em todas as previsões que exigiria. Essas seriam, em sua maior parte, contrárias as evidências da evolução. Vejamos.

Evidências Indiretas
CRIAÇÃO
EVOLUÇÃO
Estrutura genética
Códigos genéticos radicalmente distintos: Bases químicas diferentes, estruturas de amino ácidos diversas, proteínas distintas.
Códigos genéticos radicalmente similares: Mesma base química (Ácido desoxirribonucléico - DNA), estrutura sempre em dupla hélice, mesmas proteínas (Tanina Guanina Citosina Adenina).
Evidência Fóssil
Relação entre idade e geo camada independente. Fósseis de qualquer espécie poderiam ser encontrados em qualquer época.
Relação idade e geo camada dependente. Fósseis mais antigos só podem ser achados em camadas mais antigas.
Homologia comparada
Estruturas anatômicas diversas não relacionáveis. Duas espécies próximas e similares poderiam ter mãos diferentes, uma com dois dedos e outra com 8.
Estruturas anatômicas diversas relacionáveis numa escala gradual. Duas espécies próximas similares invariavelmente tem estruturas equivalentes. Ex: Todos os primatas tem 5 dedos.
Estrutura geológica
Ausência de camadas. A maior parte do solo deveria ser homogênea, devido a um ato criativo instantâneo, com no máximo uma camada de distinção, devido ao dilúvio.
Camadas estratificadas, demonstrando muitos ciclos sazonais que adicionaram sedimentos diversificados.
Distribuição Geográfica
Poderiam ser encontrados membros da mesma espécie em pontos do globo totalmente isolados um do outro, como por exemplo elefantes no Brasil e na Austrália, além da África e Índia, que são continentes interligados.
As espécies variam de acordo com o isolamento geográfico. Nenhuma das espécies encontradas na África estão disponível no Brasil ou na Austrália, pois o ambiente é que determina a evolução e surgimento de novas espécies.

Portanto, os quadros opõem aquilo que seriam evidências indiretas em favor de uma ou outra teoria, no entanto, como podemos ver, em todos os casos não há evidências que corroborem a CRIAÇÃO, e sim a EVOLUÇÃO. É simplesmente impossível achar qualquer fato que sustente a conclusão prévia dos Criacionistas. O quadrinho ficaria melhor na seguinte versão, alterada por mim.

Mas na realidade, é até mesmo difícil inventar outros "fatos" que corroborem a CRIAÇÃO, porque os únicos plausíveis seriam exatamente aqueles que seriam os Falsificadores da Evolução Biológica, ou seja, que seriam verificados caso a Evolução estivesse errada. Como vemos, não parece convincente simplesmente inventar uma evidência oposta àquelas que podem ser largamente encontradas.

Além do mais, em grande parte isso seria equivalente a simplesmente negar as evidências da evolução, o que, afinal, é o que os criacionistas realmente fazem. Na completa ausência de fatos que lhes sejam favoráveis, e na impossibilidade de criá-los, só lhes resta negar os fatos evolutivos, e é basicamente nisso que se resume todo o criacionismo em sua investida "científica".

Nisso se resume o método criacionista. Partir da certeza inicial da criação, independente do que dizem os fatos, e então simplesmente atacar o evolucionismo das mais variadas formas, inclusive, fato por fato.

Marcus Valerio XR
Outubro 2008 - 6 de Feveiro 2009

É possível uma Ciência Sobrenatural?
Antes de Postar sua Mensagem...


Deixe sua Opinião no